Anuncio

Aprenda agora o que é o Tesouro Direto

Tesouro direto

Aprenda agora o que é o Tesouro Direto

Quer os investidores sejam novatos ou estejam em busca de algo seguro, o Tesouro Direto frequentemente aparece como uma opção. Você, no entanto, entende a finalidade e o modo de operação do Tesouro Direto?

Em 2022, mais de 1,8 milhão de pessoas físicas se tornaram investidores ativos do Tesouro Direto. E em dezembro, o estoque total subiu para R$ 79 bilhões.

Agora que mais pessoas estão emprestando dinheiro ao governo, vamos aprender como funciona esse tipo de investimento para que você possa decidir se é o melhor curso de ação para você.

Como funciona o Tesouro Direto?

Em poucas palavras, o programa Tesouro Direto, iniciado em 2002, é uma forma de o governo federal tomar dinheiro emprestado. O responsável pela gestão das dívidas públicas é o Tesouro Nacional, autarquia federal.

Com isso, qualquer pessoa maior de idade pode adquirir documentos do governo federal, e tudo é feito eletronicamente. Além disso, o valor mínimo de compra é de apenas R$ 30, tornando-o mais acessível a uma gama maior de potenciais clientes.

Você deve estar ciente de que o Tesouro Direto não é um investimento único. Na verdade, você pode escolher o modelo de título público que mais se aproxima da sua realidade a partir de uma série de opções disponibilizadas no site oficial.

As opções incluem títulos pré-fixados, onde você já sabe quanto vai receber de volta, títulos pós-fixados, onde você só aprende o retorno no resgate, e títulos híbridos. Vamos aprender mais sobre eles?

Que variedades de títulos do governo existem?

O Tesouro Direto disponibiliza diversos modelos de títulos para compra além de ter uma baixa exigência de investimento inicial de apenas R$ 30. Como resultado, você fica mais livre para comprar o papel de sua preferência.

Os tipos de títulos variam de acordo com os objetivos que você tem para o investimento. Isso porque algumas ofertas incluem uma renda que pode ser recuperada a cada seis meses.

1. Tesouro Sagrado.

O Tesouro Selic é o único especificamente pós-fixado e é sem dúvida o mais conhecido. Isso significa que você investe nele sem saber quanto dinheiro receberá de volta no final do período de tempo.

A Taxa Selic, taxa de juros fundamental da economia brasileira, serve de base para esse título, como o próprio nome sugere. Devido à sua liquidez diária, costuma ser utilizado como reserva para emergências.

Isso porque a liquidez mostra quando a renda é gerada. Quando se trata do Tesouro Selic, o rendimento do investimento é adicionado à aplicação a cada dia conforme ele aumenta.

A liquidez diária é ideal para uma reserva de emergência porque evita que você perca renda até aquele momento. Consequentemente, você é livre para sacar seu dinheiro sempre que quiser, sem consequências.

Porém, a rentabilidade do Tesouro Selic dentro do Tesouro Direto também é bastante baixa. Sempre terá um retorno positivo, portanto não é o fator primordial para grandes lucros.

Saiba mais sobre o CDI 2022 enquanto você tem a chance.

2. Tesouraria pré-paga.

Tesouro Prefixado é a segunda iteração do Tesouro Direto. Quando o aplicativo é enviado, o percentual de rentabilidade é divulgado no mesmo.

Como resultado, se você investir um determinado valor e fizer um saque apenas na data de vencimento, poderá calcular o valor exato que receberá.

Você também pode retirar, no entanto, se precisar do dinheiro antes do tempo previsto. A única diferença é que, nesse cenário, você pode ganhar mais dinheiro do que esperava ou perder dinheiro.

Os preços dos títulos que flutuam ao longo do tempo ajudam a definir essa incerteza. Nesse sentido, esse tipo de investimento é mais adequado para objetivos de médio e longo prazo, utilizando recursos que, com certeza, você não vai precisar no momento.

3. Tesouraria Pré-fixada com Juros Semestrais.

O Tesouro Prefixado com Juros Semestrais é um tipo diferente de título prefixado. Ele também estabelece uma taxa de retorno no momento do seu investimento, como o nome sugere.

Como resultado, se você esperar até que seu dinheiro seja totalmente investido, saberá exatamente quanto ele renderá e quanto poderá sacar.

O pagamento de juros semestrais, porém, é novidade nessa escolha. Ou seja, você recebe duas vezes ao ano pelo valor que está em linha com o que foi antecipado para o ano.

Vamos usar um exemplo em que a taxa anual é de 12% e o retorno sobre o investimento é de 6% ao semestre. Você então tem a opção de sacar o dinheiro ou reinvesti-lo.

Esses pagamentos semestrais não serão feitos integralmente; uma parte irá para o imposto de renda. A partir de 22,5%, essa taxa cai para 15% após dois anos de investimento.

Como resultado, os investidores de longo prazo são o público-alvo deste livro. O investimento na taxa fixa semestral é para mais de 10 anos, por exemplo, no site do Tesouro Direto.

4. IPCA do Tesouro.

Um dos títulos híbridos do Tesouro Direto é o Tesouro IPCA. Em outras palavras, tem prefixos e sufixos.

O Tesouro Prefixado é comparável ao primeiro componente. Quando o investimento vencer, você receberá exatamente essa porcentagem.

Semelhante ao Tesouro Prefixado, se você sacar seu dinheiro antes do prazo, o lucro não é garantido.

A parte pós-fixada, porém, faz a diferença. É um valor baseado na inflação porque, como o próprio nome sugere, é baseado no IPCA, ou Índice de Preços ao Consumidor Amplo.

Isso o torna um investimento seguro que protege contra a inflação. Se for muito alto, seu investimento não perderá valor, pois ainda renderá o mesmo percentual no final.

Como resultado, este título também deve ser mantido por um período de tempo médio a longo e ganha apelo ao prometer crescimento de capital, apesar da alta inflação.

5. Tesouro IPCA com juros.

O IPCA do Tesouro tem oferta semelhante com juros semestrais para o título Prefixado.

Funciona de forma muito semelhante tanto ao IPCA do Tesouro e o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais.

Com esta oferta, você terá seguro contra inflação e crescimento monetário. Além disso, você tem a opção de fazer saques semestrais de uma certa porcentagem de sua renda.

Essa variação também sugere que o imposto de renda será descontado dos saques feitos semestralmente. Atua de forma semelhante, iniciando uma regressão em 22,5% e reduzindo para 15% após dois anos de investimento.

Quanto rende o Tesouro Direto atualmente?

Não há rendimento específico associado ao Tesouro Direto porque ele consiste em vários títulos públicos e não em um único investimento.

No entanto, o site oficial do programa permite visualizar a previsão de receita anual mais recente para cada opção do Tesouro Direto. No momento em que escrevo, o prefixo com vencimento em 2025, por exemplo, está em 12,35%.

Além disso, a taxa Selic mais 0,1227 por cento é usada para calcular o Tesouro Selic, que também vence em 2025. Após a reunião de maio de 2022, a taxa Selic aumentou para 12 pontos 75 por cento ao ano.

Atualmente, prevê-se que esse número aumente ainda mais, aproximando-se do nível em que aumentou mais rapidamente na memória recente entre 2015 e 2016, quando a taxa Selic era de 14,25%.

Dessa forma, a rentabilidade do Tesouro Direto varia muito de acordo com seus objetivos de investimento.

Onde posso investir no Tesouro Direto?

É hora de aprender a investir nesse título agora que você conhece todas as ofertas do Tesouro Direto, cada uma delas voltada para um perfil de investidor diferente.

Algumas instituições financeiras são elegíveis para oferecer esse título se forem qualificadas pelo Tesouro Direto. Portanto, antes de começar a investir, você deve primeiro identificar alguns deles.

Através do aplicativo da instituição financeira de sua preferência, você se cadastra no Tesouro Direto por esta modalidade. Depois é só depositar o dinheiro na sua conta bancária e decidir qual investimento fazer!

O Dinheiro Direto disponibiliza em seu site oficial um simulador caso ainda esteja em dúvida antes de começar a investir qual é o melhor para você.

Com isso, você pode determinar quanto seus investimentos devem render ou até mesmo quanto você deve colocar de lado a cada mês para atingir sua meta.

Para evitar erros ao iniciar seus investimentos, consulte nosso guia detalhado:

  • Para saber qual título é melhor para você, simule o Tesouro Direto.
  • Localize uma instituição financeira respeitável.
  • Pelo app do banco selecionado (é necessário ter conta lá), cadastre-se no Tesouro Direto.
  • O dinheiro a ser investido deverá ser transferido para sua conta naquela instituição.
  • Escolha um título e anote seu valor inicial e data de vencimento.

É arriscado emprestar dinheiro ao governo?

É possível vender títulos e tomar dinheiro emprestado por meio do Tesouro Direto, programa do governo federal. Seu investimento é uma garantia do governo de que retornará o saldo acrescido de juros.

O Tesouro Nacional garante o valor integral de cada investimento. Dado que o governo federal está fazendo a promessa, é um dos investimentos mais seguros que se possa imaginar.

O programa do governo também fornece os nomes das instituições financeiras que podem negociar esse investimento. Você também tem a segurança de não ser vítima de fraude como resultado.

Você pode focar sua atenção em pesquisar as opções oferecidas e determinar quanto vai investir, pois os investimentos do Tesouro Direto são muito seguros.

Posso perder dinheiro usando o Tesouro Direto?

Se você pode perder dinheiro ao investir é uma das principais preocupações. No entanto, todos os títulos do Tesouro Direto gerarão algum lucro.

Ou seja, se você sacar seus recursos sempre na hora e seguir os prazos estabelecidos no momento do investimento, não terá prejuízos.

Se você precisar do dinheiro em uma emergência, esse é um cenário que você pode enfrentar. Nesse caso, o lucro não é garantido por causa das taxas flutuantes.

Mudanças na economia do país é outra possibilidade. Se a inflação subir muito enquanto você estiver fazendo um investimento fixo de longo prazo e não estiver aplicando em títulos que tenham como referência a inflação (os títulos do Tesouro IPCA), seu dinheiro perderá valor.

Existe algum custo associado ao investimento no Tesouro Direto?

As taxas devem ser sempre monitoradas além de ficar atento às opções do Tesouro Direto e sua segurança. Por exemplo, você já deve estar ciente de algumas maneiras de evitar taxas bancárias.

Então, antes de comprar seus títulos, é bom saber se você vai ter que pagar algo a mais logo de cara! Essa é uma ótima forma de economizar, e não é diferente na hora de investir, certo?

O Tesouro Direto cobra uma taxa anual de 0,25%, que corresponde à taxa de serviço da B3, a bolsa de valores brasileira. Porém, esse valor não é cobrado em algumas instituições!

Outro ponto a ser observado é que, em geral, não há tarifas para aplicações feitas no Tesouro Selic até R$ 10.000. No entanto, a taxa de 0,25 por cento será aplicada a valores superiores a isso.

Por isso, é fundamental revisar a lista de instituições credenciadas do Tesouro Nacional, pois nela constam informações sobre as taxas cobradas por cada uma delas para a manutenção do serviço.

Com isso, você pode se concentrar em pesquisar seus investimentos, fazer um bom planejamento financeiro, criar um fundo de emergência e focar apenas na alíquota do imposto de renda.

E aí, você demonstrou interesse no Tesouro Direto? Se você tiver alguma dúvida sobre esse tipo de investimento, poste-a na seção de comentários!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

Sem comentários