Anuncio

O que são doenças cardiovasculares

O que são doenças cardiovasculares

Doenças Cardiovasculares;

Você entende o que é doença cardiovascular? Descubra agora o que são doenças cardiovasculares;

Autoridades, profissionais médicos e pacientes se preocupam com a alta incidência dessas doenças em todo o mundo.

Para se ter uma ideia, a Organização Mundial da Saúde estima que, no mundo, essas doenças causaram a morte de 17,9 milhões de pessoas em 2016.

Embora esta situação seja parcialmente influenciada pela genética, a maioria das lesões são causadas por hábitos pouco saudáveis.

De fato, os especialistas estimam que, com pequenos ajustes na rotina, 80% das mortes prematuras causadas por essas patologias poderiam ser evitadas. Portanto, devido à importância de uma dieta saudável, exercícios regulares e controle do estresse na vida diária, é importante observar as mudanças comportamentais. E é exatamente sobre isso que falarei daqui para frente.

Mais informações sobre as principais doenças cardiovasculares, fatores de risco e formas de evitá-las podem ser encontradas na leitura. Por exemplo, você pode contar com a ajuda do cardiologista online para manter seus cuidados com o coração atualizados.

Continue lendo até o final!

O que são doenças cardiovasculares?

As doenças conhecidas como condições cardiovasculares afetam o coração, as veias e as artérias afetando sua estrutura e/ou função. Sobretudo, lembre-se de que o músculo cardíaco se contrai para enviar sangue rico em oxigênio por todo o corpo. Este processo é alimentado por impulsos elétricos.

Acima de tudo, para que as células e os sistemas do corpo sejam adequadamente nutridos, esse processo é essencial. O sistema cardiovascular como um todo deve estar completo e intacto para que ocorra com sucesso.

Nesse sentido, os átrios e ventrículos do coração devem ter tamanhos normais e serem capazes de contrair e relaxar dentro dos limites normais. E para que o sangue flua normalmente, as válvulas situadas entre essas câmaras também devem poder abrir e fechar nos momentos adequados. O chamado ritmo sinusal, que denota um coração saudável, será, portanto, seguido pelos batimentos cardíacos.

O sangue deve poder circular livremente pelas veias, artérias e capilares sem ser obstruído por coisas como placas ateromatosas. Bem como, qualquer irregularidade no sistema pode prejudicar seu desempenho e aumentar o risco de incidentes graves como infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral.

Incidência de doenças do aparelho cardiovascular

Apresentei estatísticas surpreendentes sobre quantas pessoas morrem a cada ano de doenças cardiovasculares no início deste texto. Os últimos 20 anos viram uma continuação desse padrão. Tanto que 2 milhões de pessoas morreram na década de 2010 em decorrência desses males, segundo a OMS. A situação se agravou em 2019, quando as patologias cardiovasculares foram responsáveis ​​por quase 9 milhões de mortes, ou 16% de todas as mortes no mundo. Mais de 500 milhões de pessoas em todo o mundo que sofrem de doenças cardiovasculares correm o risco de morrer prematuramente como resultado disso.

A situação do Brasil, onde 14 milhões de pessoas sofrem com essas doenças e respondem por 30% de todas as mortes por lá, também é preocupante. Segundo estimativas da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), ocorrem aproximadamente 380.000 mortes por ano por doenças cardiovasculares no Brasil.

O país registrou 171.000 mortes apenas por doença isquêmica do coração em 2019, de acordo com o relatório GBD (Global Burden of Diseases, Injuries e Risk Factors Study), publicado no The Lancet. Refiro-me à patologia conhecida como doença arterial coronariana (DAC), que faz com que placas feitas de gordura, cálcio e outros materiais se acumulem nas paredes das artérias.

A circulação é impedida por essas placas. Vale a pena comparar a SBC, que afirma:, para ter uma noção do impacto desses males.

As doenças cardiovasculares causam o dobro de mortes que aquelas devidas a todos os tipos de câncer juntos, 2,3 vezes mais que as todas as causas externas (acidentes e violência), 3 vezes mais que as doenças respiratórias e 6,5 vezes mais que todas as infecções, incluindo a AIDS.

Quais as doenças cardiovasculares mais comuns?

Dependendo da região estudada, a lista das doenças cardiovasculares mais comuns pode mudar.

Por esse motivo, autoridades de saúde como a OMS listam seis categorias de patologias que afetam o sistema cardiovascular, concentrando suas avaliações em:.

  • Doença cardíaca coronária: uma condição provocada por problemas com os vasos sanguíneos que irrigam o coração.
  • Distúrbios do suprimento sanguíneo do cérebro são referidos como doenças cerebrovasculares.
  • Doença arterial periférica: obstrui o fluxo sanguíneo para os membros superiores e inferiores.
  • Danos no coração e nas válvulas cardíacas causados ​​pela bactéria estreptocócica que causa febre reumática ou doença cardíaca reumática.
  • Defeitos congênitos na estrutura do coração são referidos como doença cardíaca congênita.
  • Trombose venosa profunda e embolia pulmonar: formação e deslocamento de coágulos que podem se deslocar para órgãos importantes como o coração e os pulmões e obstruir sua irrigação.

Quais são as doenças cardiovasculares que mais matam?

Segundo o Global Burden of Disease Study, o ranking das doenças cardiovasculares fatais no Brasil é o seguinte:.

  • isquemia cardiovascular.
  • acidente vascular cerebral causado por doença cerebrovascular.
  • doença cardíaca provocada pela pressão arterial elevada.
  • cardiomiopatia.
  • doenças cardiovasculares adicionais.
  • Fibrilação do coração.
  • aneurisma da aorta.
  • doença valvular não reumática.
  • doença dos vasos sanguíneos periféricos.
  • Endocardite.
  • Uma condição cardíaca reumática.

É importante ter em mente que as duas primeiras patologias do ranking respondem por 85% de todas as mortes, fazendo com que infartos e AVCs sejam as principais causas de morte.

Além do fato de que mais de 75% dessas mortes ocorrem em países de baixa e média renda, onde é difícil detectar doenças cardiovasculares precocemente.

Outros bandidos que pioram a situação preocupante nessas áreas incluem a falta de acesso a alimentos ricos em nutrientes e um estilo de vida sedentário.

Quais os fatores de risco para doenças cardiovasculares?

Há um total de 11 fatores de risco para patologias cardiovasculares, segundo a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp).

Estes são divididos em condições mutáveis ​​e imutáveis, que aumentam a probabilidade de uma pessoa desenvolver essas condições. É importante observar que os fatores de risco podem ser reduzidos mesmo que não possam ser alterados, usando táticas como o monitoramento contínuo de um cardiologista.

Eles:

  • Idade: Um processo chamado aterosclerose, que faz com que os vasos sanguíneos endureçam e acumulem placa em suas paredes internas, ocorre com o tempo. A probabilidade de um ataque cardíaco, derrame e morte inesperada é aumentada por esse processo.
  • Histórico familiar: o risco de desenvolver problemas cardíacos ou de vasos sanguíneos aumenta se os irmãos ou pais do paciente tiverem histórico dessas condições.
  • Etnia: Algumas populações são mais propensas a sofrer de doenças cardiovasculares.
  • Os fatores de risco irreversíveis são poucos, apesar de sua importância.

Ao descobrir os fatores de mudança, há uma chance de prevenir a maioria dos danos ao coração e às artérias.

Significa que há esperança para a prevenção da maior parte dos agravos ao coração e artérias, trabalhando os fatores mutáveis. Listo cada um deles abaixo:

  • uso excessivo de álcool: hábito ligado à hipertensão, alteração do ritmo cardíaco e ganho de peso.
  • Alto nível de colesterol: Todo ser humano requer uma pequena quantidade de colesterol, a maior parte produzida no fígado.
  • Consumir muitos alimentos gordurosos faz com que o colesterol seja depositado nas paredes das artérias.
  • Diabetes: quando a insulina não consegue quebrar a glicose, os níveis de açúcar no sangue aumentam, aumentando o risco de patologias cardiovasculares.
  • Pressão alta: manter as artérias tensas resulta em sobrecarga de todo o sistema cardiovascular.
  • Estresse Excessivo: Quando estamos sob estresse, nossos corpos liberam hormônios como a adrenalina, o que aumenta nossa frequência cardíaca e pressão arterial.
  • Fumar: Fumar é outro pecado que induz a frequência cardíaca.
  • O sobrepeso e a obesidade favorecem o acúmulo de gordura nas paredes arteriais e dificultam o bombeamento de sangue pelo coração para todo o corpo.
  • Sedentarismo: Colesterol alto, hipertensão, diabetes e obesidade são alguns problemas associados à falta de exercícios regulares.

Como prevenir doenças cardiovasculares

Aumentar a conscientização e promover mudanças no estilo de vida nas cidades são necessárias para a prevenção desses males.

Não é por acaso que o aumento das doenças cardiovasculares nas últimas décadas coincidiu com a urbanização de várias áreas.

A população encontrou uma rotina mais confortável nas áreas urbanas, mas em detrimento dos modos de vida naturais e saudáveis ​​encontrados no campo. Além disso, o ritmo agitado da vida na cidade exige deslocamentos rápidos, que podem ser feitos de carro ou transporte público, reduzindo a necessidade de caminhar.

Um estilo de vida sedentário comum é exacerbado por momentos em que há pouco tempo ou motivação para o exercício. O alto custo desse tipo de refeição e nutrientes também dificulta o acesso a alimentos de qualidade. Concluí-se que o desenvolvimento de problemas cardíacos e vasculares pode ser atribuído a isso.

A solução exige trabalho e ajustes regulares, principalmente:.

  • Pare de usar tabaco.
  • Reduzir o consumo de álcool.
  • 3 vezes por semana, pratique pelo menos 30 minutos de exercício. Nadar, correr, caminhar, andar de bicicleta, dançar, etc. são formas aceitáveis ​​de exercício.
  • Coma menos sal, açúcar e alimentos gordurosos.
  • Aumente a quantidade de vegetais que você come.
  • Faça um investimento em hábitos para aliviar o estresse, como caminhar, pausas no trabalho e meditação.
  • Gerencie condições crônicas como diabetes e hipertensão.
  • Faça visitas de rotina ao cardiologista.

Como tratar doenças cardiovasculares?

O tipo, a gravidade e o risco que a integridade e a vida de um paciente correm em decorrência de sua doença cardiovascular determinarão o curso de seu tratamento. Consequentemente, um diagnóstico adequado tem um impacto direto na eficácia da terapia. idealmente cedo. Medicamentos anticoagulantes, como a aspirina, podem ser usados ​​para dissolver coágulos sanguíneos, por exemplo.

Os betabloqueadores, que reduzem a pressão arterial e a frequência cardíaca, são benéficos para a maioria dos pacientes com insuficiência cardíaca. Para tratar as causas e sinais de doença cardiovascular, estatinas e inibidores da enzima conversora de angiotensina também podem ser benéficos. Entretanto, em caso de emergência, outras condutas são utilizadas, como cardioversão de choque para controlar a frequência cardíaca.

A ablação por radiofrequência tem outras aplicações no manejo da fibrilação atrial (FA). Um cateter é usado neste procedimento para acessar o local de origem intravenosa da FA e queimá-lo. Portanto, qualquer terapia recomendada funcionará melhor se o paciente fizer alterações em sua rotina. Os conselhos preventivos que mencionei acima são úteis nesta situação para impedir novos incidentes e/ou lesões.

Isso é especialmente verdadeiro para pessoas que já têm doenças vasculares e cardíacas.

Conclusão

Quando você chegar ao final deste artigo, espero ter dissipado suas dúvidas sobre o que são doenças cardiovasculares e como preveni-las e tratá-las. Lembre-se que este texto serve apenas para fins informativos e que somente os médicos estão habilitados a fazer diagnósticos de patologias.

Compartilhe o artigo com seus contatos se você gostou. Se preferir, você pode ouvir este artigo em áudio.
Se você gosta de ler este tipo de conteúdo, leia um post sobre vida saudável.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

Sem comentários