Anuncio

Saiba como identificar autismo

Saiba como identificar autismo

7 sinais que podem indicar autismo no bebê

Saiba como identificar autismo

Depois que um bebê nasce, normalmente leva até um ano para que os sintomas do espectro autista se tornem aparentes. Nesse ponto, é possível perceber que a criança luta para interagir com outras crianças e se comunicar, apesar de não haver mudanças físicas óbvias, nenhum som ou qualquer indicação de que a criança está respondendo quando falada.
chamado.
O pediatra deve ser consultado na presença de algum desses sintomas para avaliar melhor os sintomas e sugerir formas de estimular o bebê.

Quando uma criança já é capaz de se comunicar e apresentar os sintomas, que normalmente ocorre entre os 12 meses e mais velhos, pode ser feito um diagnóstico de autismo. O autismo é um distúrbio no qual há problemas de comunicação, socialização e comportamento. Conheça mais sobre o autismo

Entre as idades de 12 e 24 meses, pode haver sinais perceptíveis de transtorno do espectro do autismo em bebês, sendo os principais:.

1. não respondendo a sons.

Quando o bebê nasce, é típico que ele se assuste ao ouvir um barulho alto, como quando um objeto cai perto dele. O bebê tem a capacidade de ouvir e responder a esse estímulo desde a gravidez. O bebê com autismo não demonstra interesse e não reage a nenhum tipo de som, o que pode fazer com que seus pais preocupados se perguntem se ele pode ser surdo. Também é normal que a criança vire o rosto para o lado de onde vem o som de uma música ou de um brinquedo. Nesse caso, porém, o bebê com autismo não demonstra interesse e não reage a nenhum tipo de som.

A audição do bebê não está prejudicada, e o teste da orelhinha confirma isso, levantando a possibilidade de haver algum tipo de alteração.

2. Não emitir nenhum barulho.

Quando os bebês estão acordados, é comum que eles tentem interagir e gritar ou gemer de uma forma que os pais ou outros cuidadores percebam. Bebês com autismo não emitem sons como “baba”, “ada” ou “ohhh” porque preferem ficar em silêncio e evitar interagir com as pessoas ao seu redor, apesar de não apresentarem problemas de fala.

Crianças com mais de dois anos já deveriam ser capazes de falar em frases curtas, mas o autismo frequentemente resulta em crianças que só conseguem apontar com o dedo de um adulto ou repetir repetidamente o que foi dito a elas.

4. Recusar beijos e abraços.

Na maioria das vezes, abraços e beijos fazem com que os bebês se sintam mais seguros e amados. O autismo é caracterizado por uma certa aversão à proximidade, o que explica por que o bebê não gosta de ser carregado, não olha nos olhos e pode até rejeitar o contato muito próximo com as pessoas em sua vida cotidiana.

5. Falta de resposta quando chamado

Quando o pai ou a mãe o chama, a criança já pode responder com um ano de idade fazendo um som ou indo ao seu encontro. No caso de um bebê autista, a criança não reage, não emite nenhum som e não fala com o chamador, ignorando-o completamente como se não tivesse ouvido nada.

6. não brincar com crianças pequenas.

Os bebês no espectro do autismo não apenas não querem estar perto de outras crianças, mas também evitam todos os tipos de abordagens e fogem delas.

7. ter movimentos repetitivos.

Movimentos estereotipados, que consistem em movimentos repetidos, são uma das características do autismo. Exemplos incluem mover as mãos, bater com a cabeça, bater com a cabeça contra a parede, balançar ou fazer outros movimentos mais complexos. Após um ano de idade, esses movimentos podem começar a ser percebidos e, se não for iniciado o tratamento, eles tendem a persistir e piorar.
O que fazer se você acha que uma criança tem autismo.

Se o lactente ou criança apresentar algum desses sintomas, é aconselhável consultar um pediatra para que os sinais possam ser avaliados com mais precisão. Se o espectro autista for confirmado, pode-se iniciar o tratamento e acompanhamento, que em alguns casos pode envolver a realização de sessões psicomotoras, fonoaudiologia e uso de medicamentos.

Normalmente, quando o autismo é detectado precocemente, é possível trabalhar com a criança em terapia para melhorar suas habilidades de relacionamento e comunicação, o que pode ajudar a diminuir a gravidade de seu autismo e permitir que ela leve uma vida comparável à de outras crianças.
a idade deles.

Veja informações sobre o tratamento do autismo.